quarta-feira, 13 de julho de 2011

A grande família.

quarta-feira, 13 de julho de 2011






















Sempre me fizeram acreditar que eramos perfeitos e que meus melhores amigos estavam dentro da minha casa. Quanto mais velha as pessoas ficam, mais infantis ficam as brigas. Desculpa, mas eu não consigo fingir que esta tudo bem. Não consigo fingir que minha família não esta implodindo. Como as pessoas conseguem pregar uma coisa que não vivem?

Sou muito verdadeiro, quando tenho algum problema com alguém, sento e converso com a pessoa. As vezes amizades terminam, mas não o carinho que sinto por elas. Já abri mão de várias pessoas mas mesmo assim sinto um grande carinho. É aquilo, sento e converso, se vejo que não tem solução no momento, me separo. Nunca me divorciei de ninguém, deixo sempre a porta aberta. Já fui amigo da Cinthya, Cassia e do Anderson. As amizades acabaram mas mesmo tendo tomado essas decisões quando era mais novo, sempre fui muito maduro nos meus relacionamentos. 

O que eu não entendo são as pessoas da minha família (família por parte da minha mãe) que param de se falar por anos. E moramos todos aqui, debaixo do mesmo teto e no mesmo bairro. Não vou ficar fazendo o mediador, todos eles já são bem velhos e já deveriam saber resolver seus problemas sozinhos. Eu continuo falando com todo mundo, não tenho motivos para não falar.

Mês que vem o meu tio vai se casar e todos da família vão estar presentes. Todas as "picuinhas" vão estar presentes debaixo do mesmo teto. Eu não vou ficar fingindo um sorriso enquanto tudo desmorona ao meu redor. Espero que tudo tenha se resolvido até lá. Isso tudo esta me corroendo por dentro. Me sinto oprimido pelos meus familiares. Meu desejo era passar um tempo fora. Um longo tempo longe disso tudo. Viajar e recuperar minhas energias. Quero conhecer pessoas novas e culturas novas. Tenho orado muito pedindo a Deus para abrir algumas portas para mim. Não quero ter minha felicidade construída em cima da infelicidade de outra pessoa. Quero crescer. Quero sair daqui.

2 comentários:

  1. Que lindo, Gabrel!
    Infelizmente, as relações familiares sempre são assim. As amizades, a gente constrói e destrói ao longo dos anos por diferenças e cada um segue seu rumo em paz. Família, a gente não escolhe, né? E temos que "aguentar" todas essas picuinhas que nos rodeiam durante a vida toda. Até que se resolvam ou não.
    Vai dar tudo certo pra você! Sei que é capaz e conseguirá criar novos laços, novas amizades, novos amores e que estes, sejam eternos. Com muita alegria!

    ResponderExcluir
  2. @gioconda

    Obrigado! Não vejo a hora do meu "futuro" acontecer e eu poder montar minha própria família. Bem simples, pequena e cheia de amor!

    bj

    ResponderExcluir

Gabriel's Journal © 2014