sábado, 6 de julho de 2013

Cápsula do tempo.

sábado, 6 de julho de 2013
Quando eu era criança escrevia cartas para que em um determinado “futuro” as encontrassem e me lembrasse de como me sentia. Eram sempre guardadas no fundo de alguma caixa e tinham a data de abertura na frente. As vezes se passavam anos e eu as encontrava. Uma espécie de capsula do tempo. Infelizmente nenhum dos desejos se realizava, mas achava engraçado ler o que eu escrevia. Era como me ouvir em um gravador.

Essa semana fiz uma faxina no meu quarto. Resolvi jogar meus móveis velhos fora e tudo de velho que tinha nele. Encontrei fotos antigas com super amigos que hoje são meros desconhecidos, provas de todo o meu ensino médio com notas vermelhas, desenhos (muitos desenhos) e frases aleatórias em agendas. Foi como encontrar uma das minhas antigas cartas. Só que dessa vez eu consegui realizar tudo o que eu queria. Deitar no meio do meu quarto vazio sem móveis me deu uma sensação de recomeço. Como se estivesse completado uma etapa.

Realizado.
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gabriel's Journal © 2014