sábado, 6 de julho de 2013

Em Chamas.

sábado, 6 de julho de 2013

Eu tinha prometido que iria parar de escrever resenhas aqui no blog. Mas as vezes aparece um comentário de alguém interessado e querendo discutir o livro. Então por que parar? Já tem um tempo que terminei o segundo livro da triologia de Jogos Vorazes. Confesso que dei uma boa enrolada porque achei o livro “chato”. Mas vou colocar primeiro a resenha do Skoob para depois dar minha opnião cheia de spoilers. Risos. Só um obs… Eu nunca leio resenhas do Skoob antes de ler o livro porque tenho medo de pegar alguma informação que “spoilaria” a minha leitura (spoilaria hahaha).
Sinopse – Em Chamas – Jogos Vorazes – Livro 2 – Suzanne Collins
Depois da improvável e inusitada vitória de Katniss Everdeen e Peeta Mellark nos últimos Jogos Vorazes, algo parece ter mudado para sempre em Panem. Aqui e ali, distúrbios e agitações dão sinais de que uma revolta é iminente. Katniss e Peeta, representantes do paupérrimo Distrito 12, não apenas venceram os Jogos, mas ridicularizaram o governo e conseguiram fazer todos – incluindo o próprio Peeta – acreditarem que são um casal apaixonado. A confusão na cabeça de Katniss não é menor do que a das ruas. Em meio ao turbilhão, ela pensa cada vez mais em seu melhor amigo, o jovem caçador Gale, mas é obrigada a fingir que o romance com Peeta é real. Já o governo parece especialmente preocupado com a influência que os dois adolescentes vitoriosos – transformados em verdadeiros ídolos nacionais – podem ter na população. Por isso, existem planos especiais para mantê-los sob controle, mesmo que isso signifique forçá-los a lutar novamente.
Comecei o livro na empolgação logo depois que terminei o primeiro. Estava tão ansioso para começar. Afinal o primeiro livro acabou de uma forma super empolgante. Me decepcionei. O segundo livro é um tédio. Porque afinal de contas o que o leitor mais quer é saber como os tributos vão fazer para se manterem vivos durante os jogos. Só que o jogo só começa lá no final do livro. O livro é uma enrolação sem tamanho. Ok, teve algumas partes legais. Por exemplo quando a Katness encontra as pessoas na cabana na floresta onde ela acostumava ir com o seu pai. Ela descobrindo/desconfiando da existência do 13˚ distrito. Mas no geral, o que importa mesmo está lá na terceira parte. Tentei fugir de spoilers, mas vi uma foto dela vestida com o Peeta na arena dos jogos. Então tentei esquecer essa foto durante a leitura. Por incrível que pareça consegui. Quando fiquei sabendo que iria ser dois tributos por distrito me veio na lembrança a foto que vi (do filme). Que coisa maravilhosa. Risos.
Mas vamos lá… Quando Peeta disse na entrevista que Katness estava grávida fiquei de boca aberta. Como foi genial ele ter falado isso para conquistar ainda mais fãs. Todos que estavam esperando ver o casamento dos dois iriam realmente perceber que a capital era um grande monstro em mandar Alemão e Siri para a arena mais uma vez.
Eles se superaram nesses jogos. Nunca pensaria na arena como um relógio. Todas as armas e os bestantes. A parte dos jogos é muito emocionante. Li tudo vidrado e acabei tudo em um dia. O livro no geral enrolei bastante para terminar. Mas quando chegou na parte dos jogos…
E o final? Surpreendente. Só no final a gente percebe que toda aquela enrolação durante o livro foi necessária. É por isso que não consigo odiar esse livro. Tudo levou a esse momento. Esses personagens são ótimos. “Pelamor”.
Eu fiquei receoso de começar o terceiro livro logo em seguida. Afinal comprei um monte de livros e quero variar um pouco a leitura. No momento estou lendo Branca de Neve e o Caçador. Estou enrolando um pouco na leitura porque estou trabalhando bastante e o tempo que tenho livre estou colocando minhas series e filmes em dia.
 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gabriel's Journal © 2014