domingo, 18 de agosto de 2013

Morno.

domingo, 18 de agosto de 2013
Eu pensei que nessa altura do ano eu estaria me sentindo completo. Mas me olhando por dentro percebo que tem um vazio alí. Mesmo amando o meu emprego, me sinto um passarinho em uma gaiola. Não vou pedir demissão e nem quero ser demitido. Acho que o erro está no mundo em geral. É como se você dividisse o seu dia em duas partes, a que você trabalha para alguém e a que você trabalha para você mesmo. É como se em todos os dias você só tivesse 20% do tempo para se dedicar as coisas que te fazem feliz. Na outra parte do tempo você deve deixar as pessoas felizes, mesmo se aquilo não te agrade. Será que isso é a "vida adulta"?!

De fato, trabalhar com ilustrações me faz feliz. Sou grato pelo meu emprego. Mas é muito frustrante não poder mais andar de bicicleta e ler meus livros na praia. Desenhar sem ter que buscar a aprovação de outras pessoas. É muito frustrante saber que a parte favorita dos meus dias é aquela que sinto um pouco de vento no meu rosto enquanto volto do restaurante no meu curto período de almoço. Fico tão "farto" do trabalho que nem aceito mais os freelas nos finais de semana que me faziam tão feliz. Estou me dedicando a deitar com as cortinas fechadas e ficar ouvindo musicas nos meus fones de ouvido. Musicas em inglês que eu nem sei o que significam.

Queria escrever livros infantis e me envolver em projetos pessoais. Mas o tempo que tenho livre entre o meu emprego e a novela é muito curto. Ali pelo penúltimo bloco da novela já estou tão cansado que nem consigo mais ficar acordado. A vida deve ser mais emocionante que acompanhar uma novela, correto?!

Ando ausente do blog por medo. Sei que esse texto por exemplo se cair em mãos erradas pode me prejudicar no meu emprego ou até mesmo em um futuro emprego. Mas aqui é o meu espaço. Meu espaço que eu nem divulgo em redes sociais. Um espaço para que alguém que eu não conheça possa ler o meu desabafo enquanto ouve musica no seu. Não posso desabafar com os meus pais e nem meus amigos, se não pareceria fraco e infantil.

Eu só quero olhar para trás daqui a 10 anos e ter certeza de ter feito escolhas corretas. Me orgulhar de ter feito trabalhos com meu perfil. No momento me sinto triste por ter que fazer banners de rádios religiosas e retratos de lideres religiosos. Por outro lado me sinto feliz por fazer ilustrações mais "livre" para escolas e revistas.

É muito bom ter um grupo de amigos que sai regulamente toda semana e estar com a minha fé estabelecida mesmo não freqüentando nenhuma religião. Este tem sido o meu novo ponto de escape agora que o meu anterior (ilustrações) se tornou o meu trabalho. Os livros tem me ajudado muito na minha ansiedade. Até deixo de gravar vlogs para o youtube de alguns para poder sentir que li para eu mesmo. Para poder dividir aquele livro comigo mesmo, sem a "obrigação" de ter que ter a aprovação de alguém. Gravar vídeos e escrever nesse blog sem ter que divulgar em redes sociais tem sido uma experiência maravilhosa. Poder fazer coisas sem ter que ter a aprovação de ninguém.

Estou triste e feliz... Quente e frio... Estou morno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gabriel's Journal © 2014