terça-feira, 19 de novembro de 2013

Julie & Julia.

terça-feira, 19 de novembro de 2013
Terminei de ler Julie & Julia no inicio do mês. Posso dizer que esse livro está entre os meus favoritos por diversos motivos. Um deles, e o mais importante, é que estava vivendo um momento na minha vida muito parecido com o da protagonista. Não me envolvi em nenhum projeto igual a Julie fez, mas senti que a mudança era necessária. Um fato muito interessante é que eu comecei a ler esse livro no meu curto horário de almoço no trabalho e terminei ele em casa com a cabeça mais tranqüila. Isso fez com que eu pudesse ter a mesma sensação de alivio que Julie sentiu no final do seu projeto.

Esse livro em especial foi meu companheiro em momentos muito tristes. Ele me ajudou a encarar a vida de uma forma mais leve e a me dedicar a coisas que eu realmente gosto. 
Ver Julie escrevendo no seu blog e estudando o seu próprio comportamento enquanto fazia isso foi muito interessante e proveitoso. Consegui me entender melhor.

Uma das minhas partes favoritas do livro foi quando ela descobre sobre Sam Pepys e a forma que ele usava para registrar os seus dias.
O que eu acho é que Sam Pepys registrou todos os detalhes de sua vida ao longo de nove anos porque o próprio ato de registrá-los os tornava importantes ou, no mínimo, singulares. (Julie & Julia)
Isso está diretamente ligado a todos nós blogueiros. Afinal, qual a grande importância de escrever na internet que terminei de ler mais um livro? Registrar esse momento o torna singular e importante, nem que seja só para mim… e 3 pessoas que visitam esse blog. Esse pensamento está diretamente ligado a todos os nossos perfis em redes sociais. O que leva você a publicar na internet uma foto do seu jantar e de um lugar que você visitou?! Isso só serve para tornar o momento ainda mais importante. Deve ser por isso que "gente velha" fala tão mal do Facebook.

Ontem revi o filme que tinha visto pela primeira vez no começo de 2010 (eu acho) e lembrei de como gostava desse filme e de seus pequenos detalhes. Ver o filme me fez gostar ainda mais do livro que é mais focado na vida de Julie, afinal ninguém se importa muito com a Julia. Pelo menos eu. O que torna a Julia importante é a admiração de Julie sobre ela. É o mesmo fator que Julie usava para se sentir importante… a admiração dos seus leitores. 

Sobre o filme:
  • Aquela cena que a Julie é rejeitada pela Julia (desculpe-me pelo spoiler) ainda corta meu coração. A maneira que o livro aborda o momento é muito mais emocionante. O filme deixa isso muito corrido e sem importância. 
  • Uma coisa que eu queria muito ver no filme era a Julie ser abordada na rua (na barca) por outras secretárias assim como acontece no livro. Ela sendo reconhecida por pessoas normais nas ruas e não só pela imprensa. 
  • No livro a câmera fotográfica de Julie é analógica e no filme é digital. O que me leva a pensar que seria burrice Julie não ilustrar seus posts com fotos. Tanto que quando ela vai deixar a manteiga no santuário de Julia a maior preocupação dela é conseguir registrar o momento com uma foto para poder finalizar o blog.
  • A Julie do livro é muito mais legal que a do filme. No livro ela é desbocada e fala de sexo o tempo todo. 
Acho que esse vai ser um daqueles livros/filmes que vou sempre guardar com carinho no meu coração. Me vejo daqui a 15 anos relendo e me apaixonando mais uma vez por Julie.

Obs: Até agora não consegui parar de rir dessa foto.


Um comentário:

  1. Sabe que eu tentei ver esse filme uma vez e dormi. Me apaixonei tanto pela sinopse e não consegui manter os olhos abertos. Depois que já havia decidido ver o filme de novo, você me lembra que há um livro!! Vai pra minha wishlist já!!!!

    ResponderExcluir

Gabriel's Journal © 2014