segunda-feira, 26 de maio de 2014

Psicose

segunda-feira, 26 de maio de 2014
Já estamos quase no fim de Maio mas eu preciso falar de um livro que li no final de Abril.
Não tinha intenção nenhuma de ler o livro e não sabia nada sobre a historia. Foi no ano passado que fui na bienal do livro (um fiasco) que teve na minha cidade e comprei um livro chamado Alfred Hitchcock E Os Bastidores de Psicose no calor do momento por R$:10,00. O livro ficou pegando poeira na estante até minha mãe me dar o livro Psicose de natal.
Como não sabia nada da historia a não ser o fato de que a protagonista morreria esfaqueada no banheiro do hotel, o livro foi muito surpreendente. A leitura é uma delicia e a maneira como o autor descreveu as cenas montou imagens ricas na minha cabeça. Lá pelo meio do livro já tinha descoberto sobre o assassino mas isso não prejudicou a minha leitura. Fui pego de surpresa por vários acontecimentos. Nunca  tinha lido um livro desse tipo e gostei de ter começado por ele. Foi então que me tornei um pouco obcecado pela historia. 
Decidi ver o tão famoso filme que todos adoram e comentam. Claro que achei uma bosta (pedras voando). Não achei que teve suspense o suficiente e achei ele uma adaptação porca do livro que eu tanto amei. A atuação era exagerada e o cenário pobre.

Ainda não estava satisfeito em parar Psicose por alí. Decidi ler o livro Alfred Hitchcock E Os Bastidores de Psicose. Foi assim então que passei a enxergar o filme com outros olhos. Saber da inovação que ele foi na época e a quantidade de dificuldades que o diretor teve para fazê-lo com os prazos apertados e sem contar com a boa vontade do estúdio. O que mais gostei no livro foi a maneira que o autor começou construindo o livro contando quem foi o Ed Gein (Serial killer que inspirou a historia de Psicose). Fiquei completamente apaixonado pela historia de Ed Gein. Sei que pode ser meio bizarro eu gostar de coisas desse tipo, mas a historia é rica e perturbadora. O livro conta em detalhes como foram as gravações do filme de Hitchcoock e como o autor de Psicose se inspirou para escrever o livro. A inovação que foi em mostrar um simples vaso sanitário e uma atriz famosa de sutiã. Minha única critica ao livro é a péssima capa. A Intrínseca fez uma "capa de filme" do filme do Hitchcock de 2012. Eu fico me perguntando se alguém da editora leu o livro!(?) Porque este livro não tem nada haver com o filme Hitchcoock de 2012. Não entendo o fato de termos a Scarlat Jonhansson na capa do livro se ela não aparece no livro. Talvez seja um truque para a editora vender mais livros?!
Depois que li o livro assisti novamente o filme de Hitchcoock e o filme sobre o Hitchcook. Assisti Psicose com outros olhos e mais preso aos detalhes. Já o filme sobre o Hitchcook não foi tão interessante mas foi divertido de assistir.
Não senhoras e senhores, isso tudo ainda era pouco para a minha obsessão. Foi então que comecei a assistir a primeira temporada Bates Motel (agora a serie está na segunda temporada). A serie é maravilhosa e já está no meu top 10. A serie é situada nos dias de hoje. Temos a mãe opressora, a cidade problemática, o irmão bandidão de Norman e a psicose. É muito empolgante ver o maneira que eles conseguiram adaptar a historia para os dias de hoje. Mas mesmo assim a serie tem aquele "ar" retrô que te faz lembrar da história original o tempo todo. A atuação do Freddie Highmore é chocante de tão boa. Ele realmente te convence que é Norman Bates. Completamente apaixonado pela serie. Não vejo a hora de começar a próxima temporada.

•••
Ok, eu deveria ter parado por aqui... Rodando no Netflix atrás de filmes para colocar na minha lista encontrei Psicose 2 com o ator do primeiro. Minha mente explodiu. Precisava muito ver e saber o que tinha acontecido com Norman. Foi a "peeeeor" decisão que eu tomei na minha vida. No começo do filme você até acha a historia interessante. Olha só, agora Norman está recuperado e o filme é colorido... um desastre. Seria melhor ter assistido o filme do Pelé.

Sinopse do Skoob (Psicose)
Livro que deu origem ao mais famoso filme de suspense de todos os tempos. Psicose conta a história de Marion Crane, que foge após roubar o dinheiro que foi confiado a ela depositar num banco. Ela então vai parar no Bates Motel, cujo proprietário é Norman Bates, um homem atormentado por sua mãe controladora. Belo suspense, de tirar o fôlego!
• Gabriel: Não acho que Marion seja a protagonista. Norman é o protagonista.

Psicose, de 1960, entrou para a história do cinema como uma das obras mais importantes do mestre do suspense Alfred Hitchcock. No livro, o jornalista e roteirista Stephen Rebello desvenda os bastidores da produção considerada pelo American Film Institute o melhor thriller de todos os tempos, conta a impressionante história real que inspirou o filme e revela a decisão do cineasta, após a recusa do projeto pela Paramount, de bancar ele próprio as filmagens, atraindo estrelas famosas por uma fração do cachê habitual, marca de sua obstinação artística e determinação. Leitura obrigatória para todos os amantes do cinema, Alfred Hitchcock e os bastidores de Psicose será publicada em 25 de janeiro e inspirou Hitchcock, filme de Sacha Gervasi protagonizado por Anthony Hopkins e Helen Mirren — que acaba de ser indicada ao Globo de Ouro e ao SAG Awards por sua atuação como Alma, esposa do famoso diretor. Com previsão para estreia nacional em 8 de fevereiro e distribuição da Fox, a produção ainda tem Scarlett Johansson como Janet Leigh, a estrela da célebre cena do chuveiro.

Obs fora do contexto: Abandonei o livro da Fernanda Torres que estava lendo porque achei muito fraco. Parei na página 70. Achei muito novela do Vale a Pena Ver De Novo. Depois li pela primeira O Pequeno Principe. Achei legal. Não é essa Coca-Cola que todo mundo fala e tatua em todas as partes do corpo mas é bonitinho e tem lições importantes. Ok, é um livro infantil mas bonito. Agora comecei a ler Coraline (AMO A ANIMAÇÃO) e talvez comece o segundo de Maze Runner amanhã. 

Fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gabriel's Journal © 2014