quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Eu, Anna.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Comprei esse livro meio descrente de que seria uma boa leitura. Eu nunca compraria ele se eu estivesse passeando por uma livraria e o encontrasse no caminho. Foi em uma promoção da Fnac. Levando três livros cada um ficava por R$:3,00. Só estava interessado em outro livro, do mesmo autor de Você Está Sendo Vigiado. Como valia mais a pena comprar ele e mais dois livros coloquei Eu, Anna e O Guia Oficial de TWD no carrinho. Foi uma ótima surpresa. Tanto Eu, Anna como o Guia. Na hora que comprei o livro não me atentei a faixa amarela que diz "Livro que deu origem ao filme". Só percebi que o livro tinha virado filme (em 2012) quando olhei a capa de perto e notei que conhecia a atriz (de Dexter) na capa. 

Acho que estou me tornando um leitor cada dia mais velho (idade) e isso é ótimo. Ver como eu gostei desse livro me mostra que eu posso me divertir sem seguir a grande onda de booktubers que só falam dos mesmos livros que ganham de parcerias com as editoras. Aos poucos vou percebendo que eu gosto mesmo é de um bom suspense policial. Distopias não me prendem mais como antes, apesar de ainda ler. Fico cada vez mais satisfeito em comprar esses livros de "gente velha". Porque afinal de contas o bom é ler o livro pela a historia, não por ter uma capa fofinha ou por ele estar sendo muito divulgado.

Se vale a pena comprar esse livro? Amigo, por R$:3,00 vale a pena comprar qualquer coisa. Com R$:3,00 você anda de ônibus. Mas sim, o livro é bom. Tanto o livro quanto o filme são bons. A diferença principal entre os dois é que o crime no qual a historia se desenvolve é apresentado nos primeiros capítulos do livro, quando no filme o mistério fica no ar até o final. Se fosse optar por um dos dois optaria pelo livro. Porque o livro é mais "pesado" que o filme. Enquanto o livro mostra a relação do detetive com Anna, ele nos apresenta mais historias que tornam os personagens mais ricos. Só assim você entende algumas atitudes tomadas pelos personagens. No filme isso é muito vago. Você fica se perguntando o tempo todo o motivo dos personagens tomarem certas atitudes. Nesse ponto o filme é muito confuso.

Só sabendo mais sobre o passado de Anna que você entende o motivo dela frequentar reuniões de solteiros e o que a solidão faz com as pessoas. Resumindo o livro e o filme posso dizer que é uma história sobre a solidão. É como se você estudasse o ser humano. No geral o crime está ali não para tornar o assassino um vilão, mas para mostrar como a morte afeta a vida de todas as pessoas ao redor.

O filme é muito diferente do livro. A personalidade dos personagens são diferentes, existem personagens novos e o final é completamente diferente. Então é bom você receber a história do filme de braços abertos sem se apegar ao livro. Talvez se o livro tivesse elementos do final da história do filme, o livro se tornaria mais rico. Porque não é explicado no livro o que levou o assassino a cometer o crime e "seguir em frente". 

Escolhendo uma das duas histórias, ficaria sem dúvidas com a história do livro. Porque é mais sangrenta e mais sombria. O filme vale a pena pela fotografia e pela a atuação da Charlotte Rampling. O que mais gosto na fotografia do filme é o fato deles usarem o preto 100% (o que não se vê muito em filmes novos) e as sombras. Uma das minhas cenas favoritas é aquela que eles passam pelo túnel de carro e o reflexo das luzes fica no vidro do carro.

Só ressaltando... se você se interessar, leia primeiro o livro para depois ver o filme. Mesmo sendo histórias diferentes e com finais diferentes, o livro vai te ajudar a entender melhor os personagens principais do filme. Só lendo o livro antes você vai entender o quanto Anna era solitária.


Sinopse do Skoob
Anna Welles, 50 anos, divorciada, mora em um minúsculo apartamento com a filha adolescente em Nova York. Sentindo-se perdida e desamparada depois do fim de um casamento de quase trinta anos, ela busca meios de se reerguer. Em uma noite, depois de uma festa para solteiros, Anna acaba no apartamento de um estranho, e, de repente, toda a frustração e a solidão vêm à tona. E o que se segue é o início de seu pior pesadelo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gabriel's Journal © 2014