sexta-feira, 1 de maio de 2015

17/52 • Um dos meus instrumentos musicais favoritos

sexta-feira, 1 de maio de 2015

 1 • De todos os instrumentos musicais o piano é o que eu melhor toco e mais amo. Meu interesse começou por volta dos 8 anos de idade na igreja. Naquela época só mulheres tocavam piano nas igrejas da minha religião. Foi então que vi um homem tocando e descobri que o instrumento era unissex(?)! hahaha. Desde então meu ouvido foi se desenvolvendo e hoje em dia consigo tirar musicas só com ele. Cheguei a fazer aulas mas acabei desistindo porque entre outras coisas odiava ficar preso nas partituras. Minha história com o piano é linda. Talvez um dia faça um post sobre isso. Hoje em dia toco no meu Kurzweil sp 76 que é um pouco ultrapassado mas eu amo.

2 • Me lembro que quando era criança tinha medo de dormir sozinho. Ficava rolando por horas na cama. Meu pai colecionava cds do Kenny G e sempre os tocava para eu dormir. Escuto Kenny G ainda hoje e acho lindo apesar de todo mundo achar brega. Como era proibido ouvir musicas que não fossem evangélicas na minha casa, as instrumentais eram uma excessão. Me jogava no Kenny G.

3 • O primeiro instrumento que aprendi a tocar (apesar de tocar só o básico) foi o violão. Meu primeiro violão era muito peculiar. Ele era de um azul berrante e era reconhecido em todos os lugares. Depois de um tempo comprei um Eagle que está comigo até hoje.

4 • Sempre me encantei desde criança. Nunca fui de ouvir forró, que é o ritmo musical que as pessoas assimilam a sanfona. Adoro o som da sanfona mas desisti de aprender porque o tempo foi passando e eu me dedicava só ao piano. Não sei se teria cabeça para aprender um novo instrumento hoje em dia.

5 • Para suprir minha vontade de tocar sanfona comprei minha primeira escaleta. O som é parecido. O melhor de tudo é que eu não precisava aprender do zero porque é a mesma coisa que tocar piano. A diferença é que você só usa a mão direita e assopra. Adoro colocar musicas instrumentais no spotify e tocar junto criando minhas próprias melodias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gabriel's Journal © 2014