segunda-feira, 27 de julho de 2015

Winter's Bone • Le Passé • Final Girl

segunda-feira, 27 de julho de 2015
Winter's bone Winter’s Bone • Trailer 

Aos 17 anos de idade Ree Dolly (Jennifer Lawrence) embarca em uma missão para encontrar seu pai depois que ele usa a casa de sua família como forma de garantir sua liberdade condicional e desaparece sem deixar vestígios. Confrontada com a possibilidade de perder a casa onde mora com seus irmãos pequenos e precisar voltar para a floresta de Ozark, Ree desafia os códigos e a lei do silêncio arriscando sua vida para salvar sua família. Ela desafia as mentiras, fugas e ameaças oferecidas por seus parentes e dessa forma começa a juntar a verdade sobre seu pai. -Filmow
 ••• 
Um gif desse filme apareceu na minha timeline do twitter com alguém dizendo que este filme tinha uma das melhores atuações de Jennifer Lawrence. Não posso discordar. Talvez esse seja o filme mais “real” que eu tenha assistido nos últimos tempos. A protagonista tem um problema para resolver onde ela tenta conseguir de todas as formas mesmo não tendo nenhuma saída em vista. No fundo ela sabe que nada vai dar certo mas ela carrega muita responsabilidade nos ombros para simplesmente desistir. Eu no lugar dela já teria desistido a muito tempo. Mas é com bastante força de vontade que ela vai “tocando o barco”. Gostei bastante do filme por tratar o tráfego de drogas de um ponto de vista relativamente novo. É um filme sem muita ação porque o drama está em evidência. As cenas para o final do filme são de cortar o coração. Assisti esse filme em um domingo a tarde preguiçoso e gostei muito.


Le Passé Le Passé • Trailer 

Depois de quatro anos de separação, Ahmad (Ali Mosaffa) retorna a Paris vindo de Teerã, a pedido de Marie (Bérénice Bejo), a sua esposa francesa, para finalizar o processo do divórcio. Durante sua breve estadia, Ahmad descobre a relação conflituosa de Marie com a filha, Lucie (Pauline Burlet). Os esforços de Ahmad para tentar melhorar a relação acabarão por desvendar um segredo do passado. -Filmow 
••• 
Estou começando a me descobrir no cinema francês. Porque é totalmente diferente do que estou acostumado. Gostei muito desse filme pela forma que ele é contado. Tem uma coisa no cinema francês que é como se eles não explicassem o filme logo no começo. O filme vai seguindo seu ritmo, muitas vezes parado e sem grandes emoções assim como a vida, e você vai ligando os pontos aos poucos. Nesse filme a gente vai entendo o que está acontecendo junto com o personagem que é “novo” nesse cenário. O filme não é obvio. Você tenta achar um culpado para o problema o tempo todo. Do meio para o final, quando você está certo em culpar um personagem, a historia muda e você percebe que estava sendo injusto. Começa a culpar outro personagem e tudo se repete. O que eu mais gostei é que esse filme não tem um fim certo. É como as coisas que acontecem nas nossas vidas. Passamos por problemas que não precisam ter um final. Muitas vezes somos todos culpados mas mesmo assim temos a necessidade e apontar a ferida do outro para se sentir aliviado da culpa.  Resumindo a opera… vou passar a assistir mais filmes franceses.


Final Girl
Final Girl • Trailer

Um homem ensina uma jovem mulher como se tornar uma arma completa. 13 anos mais tarde, aos 18 anos ela vai se aproximar de um grupo de adolescentes sádicos que mataram mulheres louras por razões desconhecidas. A temporada de caça começa. -IMDB
•••
Estava MUITO curioso para assistir esse filme. Porque eu gosto muito de Pequena Miss Sunshine e queria ver como a Abigail Breslin estava atuando hoje em dia (nada tão grandioso quanto imaginava). Foi então que comecei a achar a história do filme meio fraquinha... mas por outro lado estava apaixonado pelas cores, ângulos, trilha. A fotografia em geral é perfeita. Tudo aquilo me lembrou muito um fotógrafo que eu estudei bastante quando enjoei do Terry Richardson. O fotógrafo em questão, para a minha surpresa, é o diretor desse filme. Tyler Shields é um nome forte na fotografia de moda e fez todo o sentido ele ter dirigido esse filme. Passei a encarar esse filme como um filme de moda. Como filme de moda ele não peca em nada. A luz é perfeita. Todo o conceito é de encher os olhos. Parece que o filme foi gravado todo dentro de um estúdio fotográfico. Se esse filme fosse dirigido por outra pessoa eu provavelmente teria achado apenas um filme trash. Se vale a pena assistir? Se você gosta de moda sim. Caso contrário existem outros filmes melhores. Eu amei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gabriel's Journal © 2014