domingo, 22 de novembro de 2015

Eu me remexo muito!

domingo, 22 de novembro de 2015
Fui chamado por um grupo de amigos para ir em um karaokê. Você precisa entender que eu passei uma semana sofrendo de ansiedade para poder ir no karaokê. Porque o bom de karaokês em geral é que as pessoas estão ali apenas para se divertirem. Ninguém vai ali querendo um contrato musical ou conquistar fãs. Não é atoa que sempre alguém canta As Frenéticas.

O problema foi que ninguém da minha mesa estava disposto a se divertir. Desde que cheguei todos estavam no celular. E aconteceu o que eu falei em um dos posts passado. Tem hora que precisamos nos desconectar. Eu estava cheio de assunto e doido para saber as novidades. Mas todo mundo só estava sentado e vendo as coisas acontecerem. Ninguém queria cantar ou dançar. Vamos falar a verdade... Qual é a graça de ir em um karaokê e ficar parado?! Já que você está ali, faça acontecer.

Levantei da mesa e comecei a dançar loucamente em um lugar onde ninguém se movia. As pessoas começaram a me olhar com estranhamento, mas cara, estava tocando axé. Eu geralmente não escuto axé mas já que você está em uma micareta, viva e seja a micareta. Faça acontecer! Minha irmã veio me acompanhar. Aos poucos Mariana e Erika começaram a dançar. Mas o Karaokê ainda estava desanimado e as mesas super paradas. 

Então resolvi cantar. A escolha foi Belo. Porque eu apesar de não saber inglês só escuto músicas em inglês. Eu não tinha para onde correr. Fui para o palco com minha irmã e me entreguei com corpo e alma. Depois que nada me impedia dei meu máximo na pista de dança. Outras pessoas começaram a animar e a dançar também. Quando percebi estava dançando forró, funk e sertanejo com pessoas desconhecidas e me divertindo horrores. Pessoas que geralmente eu não teria interação nenhuma. Estilos e idades diferentes. Mas ali na pista éramos melhores amigos.

Um desconhecido chegou para mim e falou que se os amigos roqueiros dele vissem ele naquele momento nunca mais falariam com ele. Risos. O mesmo desconhecido colocou uma touca na minha cabeça enquanto dançávamos "Olhos Coloridos"e só aceitou ela de volta no final da música(?). Quando tocou Anitta todos começaram a dançar ao meu redor e ali eu notei que minha noite estava completa! Prometi para mim mesmo que em todo o lugar que eu fosse eu faria o máximo para me divertir.

Também decidi que junto com a minha irmã vamos virar frequentadores do karaokê. Porque pensa bem, gente... A melhor coisa do mundo é você se entregar ao momento sem medo do que as pessoas vão achar. O nome disso é viver. E eu só gastei R$:3,00 durante toda a noite. Diversão gratuita praticamente. Mão de vaca como sou, não poderia sair de lá mais feliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gabriel's Journal © 2014